PAOLA KIRST: uma das grandes promessas da nova geração da Música Popular Brasileira

13.10.18

Música, artes, corpo, poesia e cores. Assim eu definiria a artista rio-grandina Paola Kirst. Sua voz forte e doce atrai os ouvidos de qualquer umx que tem o privilégio de ouvi-la. Comigo também foi assim. Lembro de tê-la ouvido, pela primeira vez, em um pequeno palco da Avenida Rio Grande, no Cassino, em nossa cidade, Rio Grande. A artista surgiu com um figurino, que lhe é tão peculiar (e maravilhoso), e soltou a voz. Foi amor à primeira vista! Melhor dizendo, à primeira ouvida! Depois disso, a artista tem crescido e amadurecido muito em suas artes. Cantautora, percussionista e bacharela em Artes Visuais, Paola é um dos grandes nomes da MPB da nova geração.  
.
Sem mais delongas, passo a voz para a Paola. Esta multifacetada artista, cantora popular brasileira. Mulher, linda, talentosa e da minha terra, com muito orgulho:      


1) Fala um pouco sobre ti e teu trabalho. 
Sou cantora. Pode-se chamar cantautora, que canta o que compõe, embora também me considere intérprete. Aliás, umas das coisas que mais gosto de fazer é cantar as músicas de amigos próximos, grandes compositores. Me formei bacharela em Artes Visuais, pela FURG e atuo como performer. Isso tudo no palco fica bem misturado e vira uma coisa só. Tenho experiência na dança teatro, dança contemporânea, banda marcial e no teatro, experimentando essas e outras manifestações artísticas desde pequena. Era uma criança inquieta, ou melhor, criança. Tive oportunidade de sempre que possível, realizar diferentes atividades que auxiliaram na minha formação e definiram as preferências e rumos artisticos, graças ao incentivo da família. Estou cantando profissionalmente há mais ou menos uns 5 anos, desde pequenas bandas que faziam covers, voz e violão em bares e atualmente (2 anos) com o meu trabalho autoral: Dionísio Souza (baixo), Marcelo Vaz (teclado) e Lucas Fê (bateria). 

2) Olhando para trás, lá quando decidiste seguir nessa área/carreira, o que dirias que te motivou? Ou quem? 
Como sempre estive inserida no contexto cultural (primeiramente da minha cidade) as coisas aconteceram de maneira bem natural. O retorno positivo das pessoas que me assistiam dançar ou cantar foi um grande impulsionador, com certeza. Assistir os shows de artistas locais, principalmente as cantoras Luciana Lima e Deka Sontorum, bem como visitar exposições de arte, escutar artistas brasileiros da nova geração. Na adolescência tocando bateria, cantando em bandas de garagem, mas principalmente quando recebi o convite dos meus amigos da KIAI grupo, para que eles fossem a minha banda. 

3) Se fosses fazer um balanço com os trabalhos que já realizaste, qual tu consideras ser o mais importante deles? Pode ser porque te rendeu maior satisfação pessoal, financeira... enfim! O que te dá o maior orgulho de ter feito. 
Sem dúvida o meu trabalho autoral, por termos uma sintonia tão grande e sabermos respeitar uns aos outros. Viajamos e convivemos bastante juntos, isso tudo nos faz crescer enquanto ser humano e transparece no palco, na maneira que tocamos e trabalhamos em grupo. 

4) Aonde tu queres chegar? Já alcançaste o que desejavas com o que fazes? 
Eu tenho muitos sonhos e almejo muita coisa para a carreira, mas penso que o caminho é o mais bacana. O processo sendo curtido a cada etapa. Já ocupei muitos espaços que desejava e sigo fazendo isso através de muito esforço e trabalho coletivo. A partir daí é tudo consequência ou ‘frutos’ de um trabalho limpo e feito com muita dedicação. Todas as experiências nos fazem crescer muito. Acredito que se a gente fica focando muito no fim, no lugar esperado, não degusta o processo... então agradeço demais as minhas origens, de onde eu venho e prefiro dizer que o lugar que estou é onde preciso estar nesse momento. Quero muito é poder seguir fazendo as parcerias de composição como já fiz com Carlos Medeiros e Thielle Pinho, por exemplo. 

5) Para quem quiser conhecer e contratar os teus serviços, onde devem te procurar? Quais tuas redes? 
6) Como te definirias profissionalmente? Pode ser em uma palavra, uma frase, um parágrafo... Sinta-se livre! 
Improviso. Liberdade. 

7) Influências... Tens? Tu te inspiras em alguém? Fale um pouco sobre isso... 
Tem muitos artistas que me inspiram não só na música, mas vou colocar aqui alguns nomes que escuto muito: Lenna Bahule, Vanessa Moreno, Ana Paula da Silva, Iasi Iaco, Maria João, Kiai Grupo, Mateus Porto

8) Qual a mensagem que queres deixar para as pessoas que acompanham o teu trabalho? 
Olha, não tem uma mensagem específica. Eu crio porque naquele instante eu posso ser eu: quando escrevo ou canto é assim. E vários são os motivos: como as minha inquietações no mundo, inquietações comigo. Alegrias, insatisfações. Me interesso pelo olhar sensível e pelo corpo que é atravessado, que vive, que sente. Talvez quem me escuta ou me vê sinta isso. 

9) Por último, meio que “Corrente do Bem” (risos), queria te pedir para indicar alguém - na mesma área que atuas - que consideres ser um anônimo ilustre e uma inspiração no que faz. 

Ó, não só da mesma área, mas também fotógrafxs, bailarinxs, compositorxs, educadorxs e por aí vai. Bom, vou dar prioridade para aqueles que eu conheço pessoalmente ou convivo e admiro, vamos lá: Thais Lemos, Pérola, Eliza Alves, Amábili Semilla, Desirée Salles, Marília Piovesan, Emily Borghetti, Téka Kirst, Jéssica Berdet, as gurias do grupo Três Marias, Manu Menezes, Ana Maia. Miro Machado, Andrei Corrêa, Juliano Guerra, Mateus Porto, Fabricio Gambogi, Wagner Lagemann, Pedro Borghetti, Dionísio Souza, Leo Oliveira, Lucas Fê, Marcelo Vaz, Cleiton Oliveira, Bernardo Grohs, Mauricio Rodrigues, Bruno Coelho.

É possível acompanhar os trabalhos que estão rolando (e os que já rolaram), da Paola Kirst, através de suas redes e dando uma pesquisada no google. São inúmeras apresentações, participações em festivais, entrevistas e muito mais. 
.
Clica aqui, para assistir na íntegra a apresentação da artista no Som do Salão, em 2017, com os talentosos guris do KIAI Grupo. Está sensacional!
.
Paola, obrigada por abrir um pouquinho de ti e tua arte para o blog. Vida longa e próspera a tua voz, tua arte. Orgulho de ter em terras rio-grandinas umaartista com teu talento e coração. Desejo voos altos a ti e a todos xs grandes artistas que te acompanham. Parabéns!   
.

Do release da artista:

Algumas premiações e participações em festivais competitivos:

2015 - Festival Mar em Canto (Rio Grande – RS) - Terceiro lugar e melhor arranjo- banda Goiaba de Casa com a canção ‘Distante do Mar’.
2016 - Festival Mar em Canto (Rio Grande – RS) - Segundo lugar- interpretando a música ‘Nas Ondas Salgadas da Dor’, dos compositores Ricardo Cordeiro e Luana Fernandes.
2017 - 31° Festival Moenda da Canção (Santo Antônio da Patrulha – RS) - Interpretou a canção ‘Porções de Tempo’ do compositor Miro Machado.
2018 – 36º Festival Latino Americano Musicanto (Santa Rosa – RS) interpretou a canção ‘Charlie 04’ do compositor Juliano Guerra.

Alguns shows com trabalhos solo:

- Abertura do show da cantora Vanessa da Mata (Theatro Guarany, Pelotas) 2016; 
- Abertura do show do músico Nei Lisboa (Universidade Federal de Rio Grande) outubro de 2017;
- Sonora – Ciclo Internacional de Compositoras (Porto Alegre) setembro, 2017;
- Festival Pira Rural (Ibarama) 2017 e 2018;
- Projeto Som no Salão (Salão de Atos da UFRGS. Espetáculo Receita para desatar nós na garganta) julho, 2017;
- Festival Morrostock (Santa Maria) dezembro, 2017;
- Sofar Sounds (Porto Alegre) janeiro, 2018;
- Participação no show do KIAI grupo no Festival Psicodália (Santa Catarina) fevereiro, 2018;
- Festival Musicanto, interpretando a música Charlie 04 de Juliano Guerra (Santa Rosa) Abril, 2018;
- Participação show Arthur de Faria & Arkestra Ultralíricos (SESC Ipiranga / SP) Maio, 2018;
- Projeto Mistura Fina (Theatro São Pedro, POA) Junho, 2018.

Nenhum comentário:

Curtiu? Não curtiu?
Então comenta aqui!

Tecnologia do Blogger.