Yo lírico e não também

21.11.17


Ilustração carinhosamente realizada por Lidiane Dutra (trabalho extra profissional, não conta no site da artista)

Palavras me doem. Músicas me doem. Quando leio certas linhas e ouço certas melodias um oceano se abre em mim. Lembro pessoas, revejo lugares, sinto olores. Antigas cicatrizes que remontam lembranças. Outras vezes é uma dor alheia. Identifico-me e admiro a beleza de poetizar sentimentos. Confesso que, na maioria das vezes, apesar de ser dor, trata-se de uma sensação boa. Será masoquismo? É estranho. Fica difícil conter o frisson, o lubrificar dos olhos, a pequenez da alma. Letras e sons invadem minhas entranhas e tomam conta do sangue, dos ossos, da pele, do coração e, em alguns casos, causam um conflito cognitivo em mim... É turbilhão, é calmaria. É noite, é dia. É ruim quando o que sobra , depois de tudo isso, seja unspoken...

Nenhum comentário:

Curtiu? Não curtiu?
Então comenta aqui!

Tecnologia do Blogger.